domingo, agosto 24, 2008

Dia nono. Exposição de fotografia. Amigo persa




Manhã tola e cinzenta. Acordo às nove incomodadíssimo pelo ruído das portadas a bater ao sabor da ventania. Chove imenso. Dou conta que lá fora, no terraço, a água que desaba vai ensopando os restos mortais da noite passada: mesa, cadeiras, velas, copos vazios. S. dorme ainda, mas eu não vou conseguir adormecer de novo. É-me permitido por fim fazer um café, após toda uma eternidade à procura de lume para acender o fogão. Odeio objectos esquivos. Fico entretido a ver um pouco das olimpíadas. Andebol feminino: vitória segura da selecção húngara sobre a Suécia. Depois ponho-me a ler, animado por um par de torradas, até S. acordar por volta das onze.
À tarde visitamos o outro museu da Praça dos Heróis, onde está patente uma exposição de fotografia com alguns dos maiores nomes da história. Sob o título Body and Soul, apresenta-se ao excessivo magote de visitantes um belíssimo conjunto de obras: nus, auto-retratos, cenas do quotidiano social e algumas fotografias de guerra. A Hungria tem orgulho na sua fotografia, e não sem legítimos motivos: Hervé, Capa, Kertész, Munkácsi (em cima, a sua famosa fotografia Three Boys at Lake Tanganyika), eis alguns dos mais famosos fotógrafos por aqui nascidos.
Encontramo-nos pela noite com J., um amigo persa de S., com quem encetamos uma interessante conversa sobre origens, permanências e predilecções artísticas. S. procura, com pouco sucesso, confrontar a história pessoal de J. com a da protagonista do recente filme Persepolis. Os paralelos existem, ainda que J. jamais tenha regressado ao Irão após ter deixado o país no início da década de 1980. Trata-se de um homem reservado, de sorriso puro, coleccionador de línguas estrangeiras e amante das artes. No plano musical, aconselha-me um tal de Joseph Arthur. Despedimo-nos com um convite meu para que venha um dia a Lisboa visitar-nos. Talvez um dia passeemos juntos pelas ruas da linda princesa...

2 comentários:

SOFIA disse...

köszi...

Anónimo disse...

Adoro Joseph Arthur!
Fez a primeira parte do concerto que os REM deram no Atlântico, em Janeiro de 2005. Eu estive lá!
Honey and the moon é linda!
Beijinhos,

Xana