sexta-feira, setembro 24, 2010

Cristovam Pavia



A propósito da reedição da sua obra poética, pela Dom Quixote, este par de versos, tão exagerados e ao mesmo tempo tão verdadeiros:

Ó Portugal minha pátria de meia-tigela
- Aqui para nós, passa-se tão bem sem ela!

2 comentários:

Ruy Ventura disse...

Amigo, manda notícias para o mail. Não me admira que aí sintas muito a frase do Pavia - que reli ontem na nova edição da poesia dele -. Podes juntar-lhe a do Nobre: "que desgraça nascer em Portugal".
Abraço para ti e para a Sofia

Beggars: disse...

Ahh, coitada de Portugal :)
Bj