quarta-feira, dezembro 16, 2009

Doutoramento


e não era isto que tu querias
meu grande animal?
o tempo escuro e invernoso
despindo faias e arbustos
a chuva miúda e tu lá dentro
no calor da biblioteca
em decisivas leituras
afogado na mais densa versalhada

de leminsky palmando a ideia
já por ti inteiramente corrompida
nada me demove
ainda vou ser ...


não era assim que então dizias
enquanto lá fora o vento do mundo
batia a vidraça do casulo com livros?

aguenta-te agora
ó grande besta

4 comentários:

HaAs JaGeR disse...

compreendo, commpreendo

RV disse...

Alma até almeida!, amigo João! Por essa já passei eu e creio que ainda não estou vacinado!
Abração

b.vilão disse...

Aguenta-te agora e sempre, ó grande poeta. Que as "decisivas leituras" ficam-nos sempre, pregadas ao quadro de referências. E as referências salpicam-te o discurso. Agora e sempre.

Francisco Jamess disse...

gostei desse, estou cada vez menos concentrado em minhas leituras. talvez isso seja bom afinal.

belo blog.

abraço.