domingo, outubro 11, 2009

Consolo


Escrevendo de Lisboa, o solitário editor português da binacional Revista Confraria lamenta o fuso horário que o separa dos seus colegas brasileiros e que dificulta a regularidade e consequência das reuniões editoriais via internet. Do outro lado do Atlântico, recebe do Rio um consolo belíssimo e absolutamente visionário. E agradece as lenitivas palavras.

João, fique tranquilo; toda essa dificuldade é passageira. No futuro, a Confraria terá seu escritório na divisa imaginária de Greenwich, onde o tempo, na pureza de sua existência, nem impede nem separa, pois não anda nem evolui, senão concentra e reúne a todos na plenitude de seu estado, na sua maior densidade por estar sendo na verdade simples.

3 comentários:

Beguinha disse...

Aqui ando a acompanhar-te em tamanha aventura.

Márcio-André disse...

Bonito : D

Abraços, compañero!

jorge vicente disse...

fantásticas palavras, joão.

quanto aos meus poemas, tenho andado pouco inspirado pelo que, quando terminar o 15º, mando para vocês.

grande abraço cheio de poesia
jorge vicente