segunda-feira, novembro 22, 2004

O Segredo e a Verdade (Cont. 3)

3. A busca de uma verdade primária é uma tarefa subjacente a qualquer problematização crítica, independentemente do objecto discutido. Seria talvez exagerado afirmar que certos objectivos insondáveis presidem explicitamente ao labor de um biólogo ou à leitura de um crítico literário. Estas actividades particulares, assim como quaisquer outras, possuem fins determinados, os quais, não obstante maior ou menor variação de metodologia ou foco de interesse, se incluem no alcance particular da actividade intelectual em causa. Do mesmo modo, também eu não insisto em saber a verdade de tudo enquanto cozinho o jantar ou compro o jornal pela manhã. No entanto, a asserção de determinadas opiniões ou a oficialização de leis científicas pressupõe a existência de uma verdade mais abrangente com a qual concordarão as nossas pequenas verdades. O pensamento humano (não acredito que isto seja uma generalização redutora) é intrinsicamente regulado pela crença numa forma verdadeira de ver as coisas e, em última instância, num princípio absoluto que tornaria perfeitamente válidas e aceitáveis as suas descobertas de circunstância. Mesmo aquele que não acredita numa causa primária absoluta ou na existência de uma verdade geral, acredita piamente que tal é o correcto comportamento a adoptar perante o mundo, os homens e os objectos. Essa é a sua verdade geral.

1 comentário:

LARGERTHANLIFE disse...

Segundo Paul Valery, o Homem é absurdo por aquilo que busca, grande por aquilo que encontra.
Pois, muitas vezes, sinto que aquilo com que me deparo no decorrer do processo de busca de uma pseudo-finalidade da verdade é mais importante que a dita verdade. A finalidade Verdade é impressionante enquanto motor de arranque e propósito para qualquer actividade humana. Sem ela, minuto a minuto, perto, longe, em todo o mundo não se realizariam descobertas, reformas, contra-reformas, quebra do valor moral dos mitos, quebras de ideias fosseis ou outras. Contudo, uma vez, considerada a Verdade como dado finalmente adquirido, perde-se a essencia da Vida.