terça-feira, agosto 03, 2004

agora que te aproximas
que para além de um nome,
de uma ideia, és
quase corpo
contorno
textura
agora que já um cheiro
te precede
e que uma voz alvoraçada
me avisa da tua chegada
agora que prestes estamos
a partilhar cama e prato
e mais nada importa
que o calor do nosso espaço
agora sim,

é possível ser-se
inevitavelmente

8 comentários:

me disse...

Será que sentes mesmo isso? Ou são as memórias?

me disse...

Será que sentes mesmo isso? Ou são as memórias?

me disse...

Será que sentes mesmo isso? Ou são as memórias?

me disse...

É mesmo verdade? Sentes isso no teu íntimo, ou são apenas as boas memórias que falam daquilo que em tempos viveste? Sabes que o tempo tem este efeito...

Anónimo disse...

é possível ser-se inevitavelmente!
Muito bom! e muito bom é ler-te também
Um bj
Miss Marble
www.berlindes.blogger.com.br

marilia disse...

Um poema muito bom. Remete ao clima bucólico "um amor e uma cabana". Ao mesmo tempo tem uma sintaxe limpa, despretensios. Ótimo.

nils disse...

Vá lá a actualizar este blog... afinal é um espaço para a poesia num tempo que já não é o dela. O leitor vai espreitando... Eu sei, eu sei...Olha quem escreve!

Anónimo disse...

gostei =D

post-punk
(http://www.livejournal.com/users/mrcomment/)