segunda-feira, outubro 20, 2008

Antero e o esmorecimento do intelecto


Tenho alcançado este inverno uma assinalada vantagem que vem a ser, separar o meu espírito do meu temperamento, e reduzir o que costumava ser ataque de misiticismo a simples ataque de inércia, frouxidão intelectual e debilidade extrema da vontade. É pouco, mas é o mais que logro, empregando quanto esforço em mim cabe. O que vejo claramente é que, debaixo do facto moral há um facto fisiológico, contra esse não posso eu nada, não posso impedir que a inteligência activa e criadora adormeça fatalmente durante certos períodos, porque assim está na natureza do meu cérebro, nem que a vontade objectiva e realizadora diminua correlativamente, àquele abaixamento intelectual.


Carta de Antero de Quental a Oliveira Martins, 17 de Dezembro de 1873

3 comentários:

António disse...

Quanto tempo depois disso achou ele que devia dar a vida por terminada? Com DOIS tiros, segundo sei...

naturline disse...

Hola, es un verdadero placer llegar a este hermoso espacio. Te felicito, me gusto mucho su blog muy buen gusto.

Klatuu o embuçado disse...

A separação final foi feita com uma pistola...