segunda-feira, junho 18, 2007

Na verdade, ela estava a pensar era nas pobrezas do ser humano. Não obviamente nas pobrezas materiais, mas sim em tudo aquilo que torna o homem sempre tão inferior à condição almejada. A mentira, o egoísmo, o desejo...

2 comentários:

Francisco disse...

Mas há a outra pobreza, aquela que deixa mais espaço para livros e para gente que venha vê-los e ler-nos.

E tomar um café quente de filtro connosco, acabado de fazer.

Estávamos nós sozinhos, sem dia para viver.

batman disse...

O homem tem as suas fraquezas, muitas vezes estas consumem-no até ao osso deixam-no moribundo... mas a vida tem esperança, e num suspiro a força volta, e a felicidade abunda...