terça-feira, outubro 24, 2006

J.














havia nos seus olhos uma luz funda
qualquer coisa de íntimo, para além das palavras.
ao princípio pensei ser a cor que assim flamejava.
por isso se diz olhos bonitos
julgava eu.
mas o brilho era outro:

um cansaço tranquilo e resignado
a ausência de esperança
um carinho tolerante
pela impunidade dos maiores crimes
coisas descontentes
que porém brilhavam

3 comentários:

Beguinha disse...

Quando aqui entro, e vou bebendo as tuas novas palavras, sinto sempre que não aproveitei bem o (pouco) tempo em que tive a sorte de te ver todos os dias. Porque tu és surpreendente e talentoso, e pessoas assim não se encontram sempre...

Rui Tigeleiro disse...

Continuo a dizer que para além de mim ele é o maior. Sim, também sou mais bonito.

Júlia disse...

Apaziguador, decerto, o estado de tranquilidade e resignação. Mas, se nele, deixa-se de "mas o brilho era outro".