segunda-feira, maio 16, 2005

Jardim Botânico

não,
não estou aqui à espera que alguém me abrace
não estou sentado no velho banco a ver a gente que passa
não vim aqui para ler um livro
sequer para escrever estas linhas
não me plantei por entre estas árvores
por não ter outro espaço onde ficar sozinho
não estou aqui a pensar na vida
como é costume fazer-se em jardins
não vim assustar os pombos
ou as crianças pequenas

vim para me banhar do cheiro dos troncos largos
para apanhar sol e ar na minha face
e constatar se sempre é possivel
algumas nuvens se assemelharem a coisas terrenas

5 comentários:

LARGERTHANLIFE disse...

Adorei

nils disse...

Vim para agradecer o link...Principalmente para agradecer as palavras amigas...Estou a pensar escrever outro blog...gosto do teu...Mas só agora vou ler as actualizações...abraço..

Heavenlight disse...

Adorei este poema. Ir para comungar da Natureza, para nos sentirmos parte do que é grande e belo e puro.

Francisco disse...

no, i didn't come to read poetry, i didn't come to read your words, i just came to reassure myself of the failure of language. you said it well enough so that we may believe that a language which doesn't work isn't worth understanding, that's why we write through denials, that's why you write through denials

luís disse...

ok, linkei-te.

jardim botânico... da ajuda ou do príncipe real? descobri recentemente o segundo porque fui a um evento com o josé tolentino mendonça e ao lançamento do livro da adília lopes... aquele jardim é fenomenal.